Saiba quais são os cuidados com a higiene bucal na terceira idade

higiene bucal
Foto: divulgação

Os anos passam e os cuidados com a higiene bucal devem ser os mesmos na terceira idade e não podem ser deixados de lado em hipótese alguma, mesmo que a pessoa esteja de cama ou impossibilitada de realizar a higienização sozinha, o cuidador deve ser responsável por está tarefa.  Segundo pesquisa realizada pelo IBGE, em 2013, 41,5% das pessoas acima de 60 anos já perderam os seus dentes e somam mais de 23,5 milhões de pessoas no Brasil.

Os números são assustadores a cada quatro idosos três não possuem nenhum dente. A falta de cuidados com a higiene bucal nesta fase da vida pode causar: xerostomia (boca seca), cárie de raiz, problemas nas pontes/próteses totais ou parciais, câncer, lesão mucosa bucal, doenças periodontais (atacam os tecidos de suporte e sustentação dos dentes), endocardite e atrtição/abrasão (bruxismo – hábito de apertar e ranger os dentes). “Existe uma mentalidade equivocada de que ao chegar à terceira idade é normal não ter dentes e que usar dentadura é uma consequência natural da idade. É totalmente possível envelhecer de maneira saudável em todos os aspectos e para isso o fundamental é a prevenção”, declara Érika Vassolér, dentista e consultora de higiene bucal da Condor.

Outros fatores podem prejudicar a saúde bucal na terceira idade, entre eles estão: o uso de muitos medicamentos (causa sensação de boca seca), retração de gengiva (dá a impressão de os dentes estão mais longos) e tratamento contra o câncer diminui a quantidade de saliva e pode criar cáries de radiação. È importante ter o acompanhamento de um dentista para escolher a melhor alternativa para amenizar os sintomas durante este processo.

Categoria de idosos:

– Independentes: vivem sem auxilio;

– Parcialmente dependentes: precisam de ajuda para algumas tarefas;

– Totalmente dependentes: não tem iniciativa própria, seja por alguma deficiência e necessitam de um cuidador.

Segundo Vassolér – se engana quem acha que ao usar dentaduras ou próteses os cuidados diminuem ou podem ser realizados uma vez ao dia. A higienização deve acontecer após as refeições, acordar e antes de dormir. As placas bacterianas se formam em próteses e caso não seja removidas podem causar doenças. Uma delas é a endocardite – inflamação de um tecido do coração ou pneumonia por aspiração que pode levar a morte. A indicação é colocar prótese à noite em um copo de água de preferência com tampa para evitar contaminação. Existem casos de pessoas que tem dentes naturais e também usam prótese o ideal é usar uma escova extramacia ou macia para a higienização. “É de extrema importância retirar a dentadura para dormir para proporcionar relaxamentos dos tecidos de suporte. Para os idosos que tem ausência total de dentes a limpeza da gengiva e mucosa por ser realizada utilizando uma solução de digluconato de clorexidina a 0,12% sem álcool que pode ser aplicada com uma gaze”, lembra Érika.

Para idosos totalmente dependentes o cuidador deve ser orientado a realizar a higienização correta com o auxilio de abridor de boca, se o idoso estiver acamado, para enxaguar a boca pode-se usar uma seringa descartável com água, deixe a cabeça do idoso de lado e para frente. A limpeza da língua é muito importante e pode ser feita com raspador ou gaze de maneira delicada. A placa esbranquiçada no dorso da língua é sinal da má higienização e pode causar: halitose e infecções bucais.

Cuidados com a prótese dentaria móvel:

– Antes de retirar a prótese, lave as mãos;

– Para evitar acidentes coloque uma toalha como apoio, caso ela escape das mãos e não caia no chão;

– Tenha duas escovas: uma para os dentais naturais e outra para a prótese;

– Limpe bem cada fase da prótese;

– Duas vezes por mês, coloque a prótese durante 30 minutos, em um copo com água e três gotas de água sanitária. Lave com bastante água e paste de dente não abrasiva;

  • Limpe a boca antes de colocar a prótese. Faça bochecho com água, utilize uma escova macia para massagear a gengiva, bochecha e língua.

Sobre a Condor

Higiene Bucal, Beleza, Limpeza, Pintura Artística e Imobiliária são os segmentos de negócios da Condor, empresa genuinamente brasileira e maior fábrica de escovas da América Latina.

A empresa fundada pelo imigrante alemão Augusto Emílio Klimmek, em 1929, na cidade de São Bento do Sul, interior de Santa Catarina, está presente em mais de 100 mil pontos de vendas do Brasil e exporta para mais de 30 países. Lidera o mercado de escovas dentais infantis, escovas para limpeza, escovas e pentes para cabelos e pincéis artísticos, seguindo firme no posicionamento de ser a maior referência brasileira no setor de utensílios e acessórios para cuidados pessoais e com o lar.

Nestes quase 90 anos de história, a Condor se tornou uma das marcas mais presentes nos lares brasileiros, e suas duas unidades fabris, que somam 53 mil metros quadrados de área construída, estão instaladas na cidade de São Bento do Sul. Seus 1.300 colaboradores se revezam em turnos na produção de mais de 1500 produtos.

Site: http://www.condor.ind.br/  / SAC: 0800 47 6666

Sobre Redação 330 Articles
E-MAIL: contato@olaitapetininga.com.br

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta