Serviço de prevenção do suicídio lança campanha para atrair novos voluntários

cvv suicídio

Pela primeira vez em seus 56 anos, o CVV terá uma campanha publicitária para atrair novos voluntários utilizando exclusivamente voluntários atuais fazendo o convite. A campanha intitulada #FaçaParte será veiculada especialmente nas redes sociais da instituição e é constituída de vídeos curtos que os próprios voluntários fizeram com seus smartphones.

No primeiro momento, serão veiculados cinco vídeos de diferentes voluntários, de um total de 25 contribuições enviadas espontaneamente. Com o passar da campanha, que não tem prazo de encerramento, mais conteúdos devem ser incorporados.

Um dos voluntários que participa da campanha, José Luiz, que atende no CVV no município paulista da Santo André, disse acreditar muito no poder desse modelo para atrair novos voluntários. “São pessoas como eu que podem ser tocadas pela campanha ao ver um outro ser humano fazendo o convite”, comenta José Luiz que tem 15 anos de voluntariado pelo CVV. Nesse período, ele percebe que mudou sua postura diante da vida e passou a olhar as pessoas com outros olhos: “não julgar, dar atenção, ter cuidado com o que as outras pessoas estão dizendo”, comenta.

Cida, voluntária na capital mineira, Belo Horizonte, reforça a percepção do José Luiz, “Foi justamente essa ideia de mostrar que o voluntário do CVV é gente comum, parecida com aquela pessoa que está vendo o vídeo, que me animou. E vão sentir que também podem fazer parte.” Apesar de ser voluntária há bem menos tempo, dois anos, ela também nota mudanças importantes na sua relação com as outras pessoas, “percebo-me mais atenta aos sentimentos dos outros e mais capaz de estar presente e ouvir, sem interferir.”

O CVV conta atualmente com 2.400 voluntários realizando os mais de 2 milhões de atendimentos ao ano e espera dobrar o número de voluntários nos próximos anos para atender à demanda crescente. O voluntário pode atender por telefone, chat, e-mail ou pessoalmente, vinculando-se a um dos 85 postos de atendimento em todo o país ou de sua própria residência. Até o final do ano devem ocorrer mais de 150 cursos de seleção de voluntários e os interessados podem se inscrever diretamente no site, na página “voluntário” (cvv.org.br/voluntario/).

Desde o setembro de 2017, por meio de um convênio assinado com o Ministério da Saúde, o CVV vem ampliando a abrangência do 188, telefone sem custo de ligação, com previsão de chegar a todo o território nacional ainda no primeiro semestre deste ano. Esse telefone, aliando a abertura de novos postos de atendimentos (com possibilidades de chegar a 100 até o final do ano) e o debate mais aberto na sociedade sobre prevenção do suicídio, têm contribuído para o aumento da procura pelo serviço do CVV e, igualmente, pelo interesse das pessoas em se tornarem voluntários.

Sobre o CVV

O CVV presta serviço voluntário e gratuito de apoio emocional para todas as pessoas que querem e precisam conversar, sob total sigilo. Os dois milhões de atendimentos anuais são realizados por 2.400 voluntários pelos telefones 188 ou 141 (de acordo com a região), pessoalmente (nos 85 postos de atendimento) ou pelo www.cvv.org.br via chat, Skype, e-mail ou carta.

Sobre o suicídio

O suicídio é um problema de saúde pública que mata pelo menos um brasileiro a cada 45 minutos, mais do que a Aids e muitos tipos de câncer, porém pode ser prevenido em 9 de cada 10 casos. O movimento Setembro Amarelo, mês mundial de prevenção do suicídio, iniciado em 2015, visa sensibilizar e conscientizar a população sobre a questão –www.setembroamarelo.org.br

* Dados do Ministério da Saúde

Sobre Redação 348 Artigos
E-MAIL: contato@olaitapetininga.com.br

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta