Técnica de enxerto com pequenas partículas de gordura traz efeito natural e trata flacidez e rugas

gordura
Foto: divulgação

Os avanços nas técnicas de volumização da face com preenchimento de gordura permitem que os procedimentos cirúrgicos faciais consigam, hoje, seguir a tendência de resultados com mudanças suaves na correção de problemas como perda óssea e flacidez muscular e cutânea. “Essa é uma opção muito natural ao exagero de muitos preenchimentos que deixam as pessoas transfiguradas”, diz a Dra. Beatriz Lassance, cirurgiã plástica e membro titular da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica. Uma novidade nesse sentido é o Nano Fat Graft, que utiliza partículas muito pequenas de gordura.

De acordo com a cirurgiã, para deixar o rosto ainda mais suave, respeitando as diversas estruturas, Nano Fat Graft garante uma aparência bem natural, “como se você tivesse voltado de férias”. “Pequenas quantidades de gordura são removidas do corpo do paciente e injetadas em outras áreas. A gordura é injetada na derme, parte intermediária da pele. A palavra ‘nano’ faz referência ao tamanho das partículas, porque a técnica transforma a gordura em fragmentos muito pequenos capazes de estimular o colágeno da pele. É um excelente procedimento para diminuir linhas finas, rugas e círculos escuros ao redor dos olhos”, explica a médica.

Como a gordura possui muitas células-tronco e fatores de crescimento, que melhoram a qualidade da pele em qualquer região da face, por estimular colágeno e promover a hidratação, Nano Fat Graft pode ser chamado de Skin Booster. “A gordura é retirada com utilização de cânula fina de áreas do corpo como abdômen ou flancos. Após a remoção da gordura, é centrifugada para separar a gordura de outros fluídos. Então, a gordura purificada é injetada nos delicados contornos faciais, dependendo dos objetivos estéticos do paciente”, afirma. O enxerto de gordura é um importante aliado para dar volume e tratar cada estrutura de forma diferente. O Nano Fat Graft vem acrescentar estímulo ao colágeno, melhorando rugas finas e qualidade da pele.

Segundo a médica, como o envelhecimento é multifatorial, com perda óssea, perda dos compartimentos de gordura, além da flacidez da pele e dos músculos, cada estrutura deve ser tratada de forma independente. Para a perda óssea, há a possibilidade de se colocar preenchimento ou até próteses. A gordura perdida também merece ser volumizada, e nem sempre no local mais evidente, às vezes em locais próximos para equilibrar a feição. “Todos os aspectos devem ser considerados e repostos para uma face harmonizada, natural e sem exageros”, informa.

Depois que celebridades começaram a comentar que utilizaram sua própria gordura para preenchimentos, a atenção deve ser redobrada. “Para mim, preenchimento com gordura é um procedimento cirúrgico realizado em condições compatíveis, porque requer anestesia, há uma retirada de gordura, ou seja, uma lipoaspiração de um local e colocada em outro”, adverte a médica. Clinicamente, a pele melhora como um todo. E os resultados são tão surpreendentes, que já existem médicos que se utilizam do enxerto de gordura no tratamento de feridas para diabéticos, pelas excelentes propriedades de regeneração. No procedimento cirúrgico que dura de 30 a 60 minutos, é importante salientar que deve ser considerado o estado clínico do paciente, como em qualquer cirurgia. “Pode surgir um edema e o paciente deve permanecer em repouso alguns dias. Tratamentos associados podem ajudar muito, como o uso do laser de CO2”, recomenda Dra. Beatriz.

Fonte: Dra. Beatriz Lassance – Cirurgiã Plástica formada na Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo e residência em cirurgia plástica na Faculdade de Medicina do ABC. Trabalhou no Onze Lieve Vrouwe Gusthuis – Amsterdam -NL e é Membro titular da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica, da ISAPS (International Society of Aesthetic Plastic Surgery) e da American Society of Plastic Surgery.

Sobre Redação 340 Artigos
E-MAIL: contato@olaitapetininga.com.br

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta