Solo fértil: sinônimo de alimento de boa qualidade

solo Manejo adequado de adubos resulta em comida de qualidade. Agronomy Journal informa que fertilização, ao longo dos anos, tem contribuído para ganhos médios de 50% na produção de alimentos
Manejo adequado de adubos resulta em comida de qualidade. Agronomy Journal informa que fertilização, ao longo dos anos, tem contribuído para ganhos médios de 50% na produção de alimentos. Foto: G1

Quando pensamos em necessidade nutricional de uma planta, podemos fazer uma analogia com o ser humano: ambos possuem necessidade de diversos nutrientes.

Assim acontece no universo verde. Entre as frutíferas, cada espécie tem exigências nutricionais distintas. Da mesma forma as hortícolas, e por aí segue.

Para determinar a dose necessária de nutriente para as espécies frutíferas ou hortícolas, devemos ter informações científicas exatas, de fontes seguras, para aplicar a quantidade correta que as plantas precisam.

É neessário ainda compreender a importante função que os fertilizantes desempenham para a produção de frutas e verduras. Um solo rico em nutrientes gera alimentos de qualidade. Já um solo pobre produzirá produtos de baixa qualidade e com carência nutricional.

A aplicação de adubos, seja de origem mineral ou orgânica, permite repor de forma equilibrada a carência de nutrientes no solo. A deficiência dos nutrientes pode ocorrer devido a vários fatores, seja porque os solos não apresentam quantidades suficientes para a produção, pela perda por lixiviação e processos erosivos ou mesmo pela constante remoção pelas colheitas.  É perceptível que a segurança para devolver os nutrientes necessários está na aplicação e manejo adequados de fertilizantes.

Frutas e verduras necessitam dos seguintes nutrientes: nitrogênio, fósforo, potássio, cálcio, magnésio, enxofre, boro, cloro, cobre, ferro, manganês, molibdênio, níquel e zinco. Esses são considerados essenciais para os vegetais, sendo que a ausência de um só deles compromete a produção.

Os nutrientes têm várias funções: possibilitam o funcionamento metabólico da planta, permitem que ela complete o ciclo de vida, tenha produção adequada e com qualidade nutricional.

Segundo o engenheiro agrônomo e florestal Dr. Valter Casarin, Coordenador Científico da iniciativa Nutrientes para a Vida (NPV), o uso adequado dos fertilizantes é o caminho para o aumento na produtividade de frutas e verduras, proporcionando a redução no custo final dos alimentos.

Segundo Dr. Valter, “Quando fornecemos os nutrientes em quantidades balanceadas ao solo, estamos beneficiando sua fertilidade e promovendo a disponibilidade de alimento para as plantas. O uso do adubo correto, na dose, local e época corretas é o caminho para manter a sustentabilidade do sistema e o respeito ao meio ambiente”.

Quando o fertilizante não é aplicado de forma correta, o resultado é a baixa produtividade e prejuízo no valor nutricional dos alimentos. A redução na produtividade é proporcional à deficiência de um determinado nutriente no solo. À medida em que vamos somando essas deficiências, o quadro se agrava. A falta de nutrientes irá prejudicar aqueles que se alimentam desses produtos porque as frutas e verduras serão comercializadas a preços mais elevados e com  valor nutricional muito baixo.

Quanto aos adubos, estes devem ser empregados de forma equilibrada para obter produção mais econômica, rentável e sustentável. Para tanto, é necessário efetuar a análise de solo e avaliar  sua fertilidade. A partir daí, qo Engenheiro Agrônomo poderá fazer a recomendação exata de corretivo e fertilizante, visando uma reparação balanceada de nutrientes para vegetais que serão cultivados em determinado solo.

O uso eficiente dos fertilizantes é relevante sobretudo para aqueles que praticam a agricultura familiar e de subsistência. Tal atitude valoriza o aspecto social, garantindo a segurança alimentar, ganho financeiro e alimentos mais baratos. Valoriza também o aspecto ambiental, reduzindo a poluição e degradação do meio ambiente.

A aplicação dos fertilizantes em frutas e verduras pode ser feita de duas maneiras: via solo e via foliar. A aplicação via solo é a mais recomendada, principalmente para os nutrientes que as plantas precisam em maior quantidade, como é o caso do nitrogênio, fósforo, potássio e enxofre. É preciso ainda uma boa quantidade de cálcio e magnésio, mas estes são normalmente fornecidos pela aplicação de calcário, prática realizada para a correção do pH do solo. Micronutrientes, como é o caso do boro, cobre, ferro, manganês, molibdênio e zinco, podem ser aplicados tanto no solo quanto nas folhas, pois as plantas necessitam de pouca quantidade de micronutrientes. Assim, é possível complementar a adubação via solo pela aplicação nas folhas.

Levantamento feito pela revista científica Agronomy Journal relata que o uso de fertilizantes ao longo dos anos tem contribuído para ganhos médios de 50% na produção de alimentos. Por outro lado, pesquisa realizada pela Universidade de São Paulo (USP) mostra que o uso de fertilizantes previne a perda de 10 a 40% da produção agrícola mundial. Esses casos mostram a grande contribuição dos fertilizantes à sociedade.

Essencial é ter a consciência que o fertilizante é o caminho para devolver e disponibilizar os nutrientes essenciais que estão em falta no solo, para que as frutas e verduras possam ter seu desenvolvimento pleno, garantindo uma produção farta e de qualidade e sempre respeitando o ambiente.

Sobre Redação 340 Artigos
E-MAIL: contato@olaitapetininga.com.br

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta