A escritora e artista plástica Ione Lao (61), que se tornou conhecida nacionalmente quando virou meme no carnaval de 2011 por não aguentar mais viver em Itapetininga, no interior de São Paulo, concedeu uma entrevista ao iG Gente e diz que realizou o seu sonho e atualmente mora em Votorantim, que fica cerca de 70km da cidade que a tornou famosa.

Dizendo que não guarda mágoas de Itapetininga, Lao comenta que o meme que “explodiu” na internet após a entrevista ter sido exibida pela TV Sorocaba (afiliada do SBT) aconteceu logo depois que ela saiu da prisão, durante o carnaval.

“Fui vítima de uma falsa acusação e condenada. Tenho para mim que foi perseguição política” – explica – “Sinceramente, eu não pensei que eu fosse ficar tão conhecida por aquela matéria. Foi uma coisa boba, eu falei espontaneamente, foi de momento. E eu não sei por que fiquei tão famosa  daquele jeito. Eu não sei por que as pessoas gostaram tanto da entrevista”.

Apesar de surpresa, ela disse que gostou da repercussão: “Fiquei famosa, era reconhecida em todo lugar. Trabalho com arte e literatura, e isso foi bom para a divulgação”, conta ela, que tem três livros destinados ao público infantil.

Segundo ela, a prisão a fez ficar sem recursos financeiros e por isso ela teve dificuldades em deixar a cidade de Itapetininga. Ela ficou três meses na cadeia e, por isso, teve que largar seu cargo de professora.

“Um advogado, que morava na frente da minha casa, disse na Justiça que eu o havia ameaçado de morte, mas nada disso aconteceu”, conta. “Na época, eu não compareci à audiência e o juiz disse que eu não compareci porque eu não sabia distinguir uma coisa da outra. Achou que eu não fui à audiência porque eu não sabia da importância dela. Mas, na verdade, eu não compareci porque eu tive uma intoxicação alimentar. O juiz julgou o caso à revelia, sem a presença de ambas as partes”, afirma.

1 COMENTÁRIO

Deixe uma resposta para Edvaldo Antonio Dos Santos Cancelar resposta