Início NOTÍCIAS Felipe Prior é acusado de ter estuprado duas mulheres, sendo uma em...

Felipe Prior é acusado de ter estuprado duas mulheres, sendo uma em Itapetininga

Foto: Reprodução

Segundo uma matéria publicada pela Marie Claire, o ex-BBB Felipe Prior é acusado formalmente de dois estupros e uma tentativa de estupro, sendo que um deles foi na cidade de Itapetininga.

Segundo a investigação, Felipe estuprou uma moça chamada Ísis (nome fictício), com 23 anos atualmente, durante os jogos InterFAU de 2018, em Itapetininga, se aproveitando de que ela estava alcoolizada. Ela diz que Prior a convidou para entrar em sua barraca, iniciando as relações sexuais não consentidas e agindo de modo agressivo. Ísis disse várias vezes que não queria que aquilo acontecesse, mas foi ignorada.

A acusação também diz que ele deu tapas no rosto e no corpo de Ísis, e que ela chegou a chorar. Após o término do ato sexual, Prior teria a empurrado e puxado de forma que ela caísse sobre o colchão, e ela só conseguiu sair da barraca ao amanhecer. Duas testemunhas que estavam na barraca ao lado contam que ouviram ela chorando.

Prior se aproveitava da embriaguez das mulheres para fazer sexo não consensual (Foto: Reprodução)

“As meninas que moram comigo gostam de assistir BBB. Imagina ter que ver a cara dele todo dia?  Mas ao mesmo tempo foi importante para que eu pensasse no  passado. Eu achava que ia superar através do esquecimento. E vê-lo na TV me despertou muitos  gatilhos e medo de me relacionar com homens”, afirmou Ísis a Marie Claire.

Um caso semelhante foi apontada por Themis (nome fictício) em 2014, que também estava alcoolizada em uma festa que comemorava os jogos universitários da InterFAU, e aceitou uma carona de Prior para voltar para casa. Ela estava junto de uma amiga, sendo que esta foi deixada em casa, e minutos depois ele decidiu parar o carro na rua e desligado o motor, se lançando sobre o corpo da jovem e começou a beijá-la.

Themis não conseguia oferecer resistência física, mas disse várias vezes que não queria, enquanto ele teria respondido:

“Para de ser fresca, no fundo você quer, não é hora de se fazer de difícil”. 

A violência teria causado uma laceração em parte do órgão genital de Themis, começando a sair muito sangue. Prior teria perguntado se ela queria ir ao hospital, mas ela respondeu que queria apenas ir para casa, e assim Felipe a deixou.

O pai de Prior disse a Revista Quem que seu filho anda sendo caluniado (Foto: Reprodução)

O terceiro caso também foi durante os jogos InterFAU de 2016, mas desta vez no município de Biritiba Mirim. Prior teria tentado estuprar Freya (nome fictício) hoje com 24 anos, também se aproveitando da embriaguez dela. Neste caso, ela entrou na barraca dele, mas quando viu que ele não tinha camisinha se negou a ter relações, mas ele usou a força física para fazê-lo mesmo assim. No entanto, ele não foi bem sucedido porque Freya conseguiu empurrá-lo e depois fugiu.

A conduta de Felipe fez com que a comissão organizadora do InterFAU impedisse sua entrada no ambiente dos jogos universitários. Já as meninas não tinham prestado queixa oficialmente até Felipe Prior aparecer na casa do Big Brother, mas quando as denúncias começaram a aparecer nas redes sociais em janeiro, elas tomaram coragem.

A advogada criminalista que está investigando o caso, Maira Pinheiro, explica como chegou as histórias e por que foi tão importante reunir testemunhas para formar a denúncia oficialmente.

“Esse trabalho começou no final de janeiro, a partir da conversa com a primeira vítima. Conforme tivemos informações sobre a existência de outras, percebemos que, para que os fatos fossem relatados com a devida profundidade e complexidade, teríamos que fazer uma investigação defensiva abrangente. E assim chegamos à segunda e à terceira vítimas e às demais testemunhas. Tivemos inclusive notícia de pelo menos uma outra, que acabou preferindo não depor”

Quando questionada do porquê elas não fizeram um Boletim de Ocorrência na época, Maíra responde:

“Precisamos entender que lidamos com vítimas reais e não ideais. Acompanhando esse tipo de caso cotidianamente, percebemos que infelizmente é comum que entre a ocorrência da violência e a decisão de denunciar, passe um certo tempo. Isso tem a ver com o tratamento revitimizador que muitas dessas mulheres recebem junto às instituições, a falta de apoio de amigos e familiares e, de maneira geral, com a cultura do estupro, que normaliza situações de violência sexual e não cultua a valorização do consentimento. Todas as vítimas relataram sentimentos de culpa após os fatos. Isso é emblemático, pois revela como, diante desse tipo de caso, o senso comum tende a focar mais numa suposta ‘responsabilidade’ da vítima em não ser capaz de evitar os atos do agressor”.

Felipe Prior é um dos participantes mais polêmicos do BBB 20, sendo acusado de machismo por parte do público e se envolvendo em algumas brigas, chegando a afirmar que grita com a própria mãe. Recentemente, ele foi eliminado com 56,73% dos votos em uma disputa com Manu Gavassi e Mari Gonzalez, com mais de 1,5 bilhão de votos.

SEM COMENTÁRIOS

Comente Cancelar resposta

Sair da versão mobile