Criador do Orkut conta como percebeu que era gay

Neste período de isolamento social, Buyukkokten também tem feito lives com frequência para ampliar seus contatos no Brasil

Pai das redes sociais, Orkut Buyukkokten contou um pouco de sua vida pessoal no último domingo, 03, em sua coluna no GAY BLOG BR. Na crônica “Para sair do armário, é preciso achar a porta”, o engenheiro relembra que desde a infância já sentia algo diferente pelos meninos, mas só na vida adulta descobriu que era gay.

“Eu cresci sem ter referências de pessoas gays ao meu redor ou na mídia, então nem passava pela minha cabeça que fosse possível ter uma experiência homossexual. Quando eu estava no colégio, lembro de sentir vontade de ficar abraçadinho com meus amigos, e até de beijar um ou outro, mas eu sentia que isso ia acabar prejudicando a amizade”, conta Orkut.

Desde que se mudou para San Francisco, o empresário participa ativamente de eventos e causas LGBT+, além de estar envolvido com organizações StartOut, GLAAD, Dot429 e REAF. Orkut frequentemente também critica o uso de apps de relacionamentos gays.

“O Center of Human Technology tem monitorado o tempo de uso em smartphones e grau felicidade dos usuários. O aplicativo número um que torna as pessoas mais infelizes é o Grindr, um app de encontros voltado para gays. Em aplicativos como o Grindr, você não é uma pessoa; você é uma figura ou uma parte do corpo. A experiência de usar esses aplicativos nos dessensibiliza e nos emburrece. Isso nos reduz a nossos corpos. O impacto negativo da objetivação mútua que experimentamos nesses aplicativos torna o namoro, o romance e o sexo insignificantes, não satisfatórios”, pondera.

Neste período de isolamento social, Buyukkokten também tem feito lives com frequência para ampliar seus contatos no Brasil. Os dias e horários das lives são avisados com antecedência na comunidade de boas-vindas da plataforma Hello Network.

Para ler o artigo do Orkut na íntegra, basta entrar neste link.

PORTAL LGBT+ PARA BRASILEIROS

O GAY BLOG BR é um portal de conteúdo de notícias brasileiro gratuito voltado para a comunidade LGBT+. Fundado em 06 de julho de 2011, até 2017 manteve o humor como principal pilar de conteúdo. Atualmente aborda temas como atualidades, entretenimento, cultura, direitos, saúde, turismo, moda, estilo de vida, noite, marketing e tecnologia na diversidade.

Assinam como colunistas o engenheiro de tecnologia Orkut Buyukkokten, que criou a rede social Orkut; o ativista Todd Tomorrow; o psicanalista Eliseu Neto e o jornalista Vinícius Yamada, que também é editor-chefe do portal.

O portal também hospeda o POC AWARDS, premiação que elege anualmente os destaques da música, cinema, política, ativismo e personalidades da diversidade. Ao todo são 24 categorias disponíveis para votação do público e do júri técnico. Alguns indicados ao prêmio são heterossexuais que de alguma maneira influenciaram ou defenderam a comunidade LGBT+.

Comente