Lima Duarte participa de bate-papo sobre longevidade

Na semana que celebra o Dia Internacional das Pessoas Idosas, 26 atividades focadas na temática do envelhecimento serão apresentadas nas 39 unidades do Sesc no Estado de São Paulo

O Sesc São Paulo, pioneiro no Trabalho Social com Idosos há mais de 50 anos, celebra o Dia Internacional das Pessoas Idosas com a terceira edição da Mostra Sentidos – A Longevidade na Arte. De 1º a 13 de outubro, 26 atividades, entre espetáculos de dança e teatro, intervenção artística e bate-papos, serão realizadas em 39 unidades do Sesc no estado de São Paulo.

A mostra traz uma reflexão sobre a valorização do envelhecimento e da longevidade, com início no Dia Internacional das Pessoas Idosas, em 1º de outubro, data instituída pela Organização das Nações Unidas (ONU), há 37 anos, para relembrar a importância dos direitos e o bem-estar dos idosos.

Atualmente, mais de 700 milhões de pessoas no mundo possuem 60 anos ou mais. Em 2050, serão mais de dois bilhões de indivíduos idosos (cerca de 20% da população do planeta), segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS). No Brasil, são mais de 28 milhões de idosos, o que significa, aproximadamente, 13% da população do país, de acordo com a mais recente projeção do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Acompanhando as mudanças demográficas que vêm ocorrendo no país, com uma população idosa cada vez mais ativa, o Trabalho Social com Idosos do Sesc tem ampliado as reflexões sobre o processo de envelhecimento e incentivado o protagonismo cultural, social e político dessa população. Assim, a Mostra pretende despertar, por meio dos múltiplos sentidos provocados pela arte, um olhar mais profundo sobre a temática do envelhecimento a partir dos 60 anos.

Serão 14 peças de teatro, 9 espetáculos de dança, 2 bate-papos e 1 intervenção – que contemplam os temas da longevidade e do envelhecer em suas narrativas, dramaturgias e elencos – voltadas para públicos de diferentes faixas etárias, buscando romper os preconceitos e estereótipos relacionados aos idosos.

Destaques da programação

Na abertura da Mostra, a cantora e atriz Zezé Motta apresenta a intervenção Reflexos do Tempo (na Longevidade Expo + Fórum, Expo Center Norte, São Paulo, 1º/10), com poemas e canções que retratam o envelhecimento, com textos de Carlos Drummond de AndradeConceição EvaristoCecília MeirelesMario QuintanaCaetano Veloso, entre outros.

Destaque também para Antonio Petrin e Roberto Arduin na comédia Aeroplanos (Sesc Santos, 04/10 | Sesc Rio Preto, 11/10), escrita pelo argentino Carlos Gorostiza, abordando questões como envelhecimento, solidão, medo da morte e perda da independência; para a dupla formada pela brasileira Denise Namura e o alemão Michael Bugdahn, com o espetáculo Passou Um Anjo ou Nas Entrelinhas Tem Um Mundo (Sesc Sorocaba, 11/10), uma ode ao silêncio que celebra os 30 anos da Cia. À Fleur de Peau (França); para o espetáculo de dança contemporânea com música folclórica japonesa e ocidental Oba Nu Mun (Sesc São José dos Campos, 04/10 | Sesc Bom Retiro, 05/10 | Sesc Thermas de Presidente Prudente, 10/10), sobre as relações entre uma avó e sua neta; para os octogenários Renato Borghi e Miriam Mehler nos papéis dos jovens amantes de Verona em Romeu e Julieta 80 (Sesc São Carlos, 10/10 | Sesc Bauru, 11/10), uma inovadora adaptação do drama de Shakespeare; para a Cia. Hiato (São Paulo / SP) expondo os processos criativos dos atores em um diálogo com o público no espetáculo O Jardim – Experimento de Desmontagem (Sesc Jundiaí, 04/10 | Sesc Campinas, 09/10 | Sesc Taubaté, 11/10); e para o bate-papo sobre as representações da longevidade no cinema e nas artes cênicas com o ator Lima Duarte, o diretor Diego Freitas e o roteirista Guilherme Ródio, logo após a exibição do curta A Volta Para Casa (Cinesesc, São Paulo, 4/10), que reflete sobre as memórias de um idoso em uma casa de repouso e suas expectativas com a visita da família.

lima duarte
Foto: reprodução

Programação completa

Reflexos do Tempo

Zezé Motta (Campos de Goytacazes/RJ)

A cantora e atriz realiza uma performance interpretando poemas e canções que retratam o envelhecimento e a passagem do tempo, acompanhada pelo pianista Ricardo Mac Cord. No repertório, poemas dos mineiros Carlos Drummond de Andrade e Conceição Evaristo, da carioca Cecília Meireles, do gaúcho Mario Quintana e da capixaba Elisa Lucinda, intercalados com canções de Almir Sater, Caetano Veloso, Leci Brandão e Adriana Calcanhoto, entre outros.

Longevidade Expo + Fórum

Expo Center Norte

Rua José Bernardo Pinto, 333 – São Paulo / SP

01/10 – terça-feira, às 17h30

Grátis

Livre – 60 minutos

Direção: Iléa Ferraz – Direção de produção: Carla Barbosa – Elenco: Zezé Motta –

Músico: Ricardo Mac Cord

Nelson Triunfo

Funk & Cia (São Paulo / SP)

Coreografias em grupo e solo são apresentadas de uma forma dinâmica ao mesmo tempo em que o DJ Claytão e MC Jean B interagem com o público, tornando um ambiente festivo. Os artistas mostram a evolução do hip hop, no caso da dança, vindo desde os tempos do soul funk até os dias atuais com b.boy, poppingm, loking, house e waacking. Após a apresentação ocorre o baile black, onde a plateia é convidada a dançar passos coreografados junto com os integrantes.

Sesc Carmo

02/10 – quarta-feira, às 14h30 – Praça do Poupatempo Sé

Grátis
Livre – 60 minutos

Criação e direção: Nelson Triunfo e Jean Batista Campos – Elenco: Daniela Alves David , Darlita Luiz Albino, Jefferson Paulo Moreira, Gilson Silva de Jesus ( B.boy Cidinho) e Renan Paulo Moreira – Coreografia: Nelson Triunfo – Direção de produção: Jean Batista Campos – Assistente de produção (ou equipe técnica): Gleyce Karine
Trilha sonora: Clayton Miranda – DJ Claytão (DJ) – Músicos: Nelson Triunfo e MC Jean B

Aeroplanos

Antonio Petrin e Roberto Arduin (São Paulo / SP)

A comédia escrita pelo premiado dramaturgo argentino Carlos Gorostiza traz os atores veteranos Antonio Petrin e Roberto Arduin nos papeis dos velhos amigos inseparáveis e ex-jogadores de futebol que, ao relembrar o passado e discutir questões do presente e futuro, são surpreendidos por um convite inesperado que poderá transformar suas vidas. Acompanhando um dia na vida dos septuagenários, o espetáculo aborda questões como o envelhecimento, a solidão, o medo da morte e a perda da independência.

Sesc Santos

04/10 – sexta-feira, às 20h – Teatro

Sesc Rio Preto

11/10 – sexta-feira, às 20h – Teatro

R$30 / R$15 / R$9

14 anos – 70 minutos

Direção: Ednaldo Freire – Texto: Carlos Gorostiza – Tradução e cenografia: Antonio Petrin – Elenco: Antonio Petrin e Roberto Arduin – Criação de luz: Wagner Freire –Direção de produção: Sonia Kavantan – Realização: Proa Produções Artísticas do ABC.

Os Três Sobreviventes de Hiroshima

Rogério Nagai (São Paulo / SP)

Espetáculo de teatro documental com a reconstrução de histórias de sobreviventes de Hiroshima no dia do bombardeio norte-americano sobre a cidade japonesa e os dias que se sucederam. A montagem traz uma reflexão sobre resiliência, perdão e superação, com canções da época e tambores japoneses.

Sesc Santana

02/10 – quarta-feira, às 20h – Teatro

R$30 / R$15 / R$9

Sesc Registro

04/10 – sexta-feira, às 20h – Teatro

Grátis

12 anos – 60 minutos

Roteiro e direção: Rogério Nagai – Assistência de direção: Ricardo Oshiro – Elenco: Junko Watanabe, Kunihiko Bonkohara, Rogério Nagai e Takashi Morita – Direção de produção: Danielle Agostinho – Assistente de produção: Edson Kameda – Operador de luz: Fábio Ferretti – Locução, voz off, design e operação de vídeo: Alexandre Mercki
Financeiro e administrativo: Cibele Almeida – Assessoria em redes sociais: Kyra Piscitelli

Quando Ismália Enlouqueceu

As Tias (São Paulo / SP)

Com versões musicadas e dramatizadas para poemas de Olavo Bilac, Gonçalves Dias e Álvares de Azevedo e outros importantes nomes do romantismo e do parnasianismo da literatura brasileira dos séculos 19 e 20, quatro atrizes da companhia formada por integrantes idosas refletem sobre os novos costumes, anseios e as mudanças de comportamento das mulheres. O músico Tato Fischer acompanha o elenco e executa as versões no piano, com ritmos de época como a modinha, o lundu e a catira.

Sesc Pinheiros

02/10 – quarta-feira, às 15h – Auditório

R$30 / R$15 / R$9

Sesc Consolação

03, 04, 10 e 11/10 – quintas-feiras, às 16h, e sextas-feiras, às 20h – Espaço Beta

R$30 / R$ 15 / R$9
Sesc Itaquera

05/10 – sábado, às 15h – Praça de Eventos

Grátis
Livre – 60 minutos

Direção artística: Fernando Cardoso – Direção de produção e cenografia: Marcos Thadeus – Direção, composição musical e músico: Tato Fischer – Elenco: Jô Rodrigues, Maria do Carmo Soares, Salete Fracarolli e Vera D’Agostino – Coreógrafo: Sérgio Galdino – Figurinos: Claudio Tovar – Iluminação: André Lemes – Produção executiva: Nayara Rocha.

O Corpo Idoso na Dança

Vera Sala e Kanzelumuka (São Paulo / SP)

Bate-papo com as artistas Vera Sala (pesquisadora e professora de Comunicação das Artes do Corpo na Pontifícia Universidade Católica de São Paulo) e Kanzelumuka (integrante e cofundadora da Nave Gris Cia. Cênica) com o objetivo de refletir sobre a presença do corpo idoso na dança, seja no processo de pesquisa e inspiração para jovens artistas, seja na vivência prática do corpo idoso que dança.

Centro de Pesquisa e Formação

03/10 – quinta-feira, 19h30 – Sala 5

Grátis

Livre – 60 minutos

A Volta para Casa

Diego Freitas, Guilherme Ródio e Lima Duarte

(Mairiporã – SP / São Paulo – SP / Sacramento – MG)

O curta-metragem A Volta para Casa (BRA, 2019, 16`) se passa em um domingo de Páscoa, em uma casa de repouso. Plínio, um marceneiro aposentado, espera a visita de sua família, mas ninguém aparece. Anselmo, o jardineiro, ao vê-lo sozinho e cabisbaixo, se oferece para levá-lo até sua antiga casa e, ao chegarem, uma surpresa coloca as memórias do aposentado em xeque. Após a exibição, bate-papo com o ator Lima Duarte, o diretor Diego Freitas e o roteirista Guilherme Ródio sobre as representações da longevidade no cinema e nas artes cênicas.

CineSesc

04/10 – sexta-feira, às 18h

Grátis

Livre – 90 minutos

Oba Nu Mun

Lúcia e Ricardo Kakazu (São Paulo / SP)

No dialeto tradicional japonês uchinaguchi, falado em Okinawa, Oba Nu Mun significa coisas da avó. O espetáculo de dança contemporânea evidencia as relações sentimentais e as diferenças culturais entre uma avó e sua neta, a bailarina Lúcia Kakazu – que também assina a direção. A performance, que mistura dança com música folclórica japonesa e ocidental, parte dos objetos e relatos das memórias da avó de Lúcia, nascida e criada em um Japão pós-guerra.

Sesc São José dos Campos

04/10 – sexta-feira, às 19h – Teatro

R$ 17 / R$ 8,50 / R$ 5

Sesc Bom Retiro

05/10 – sábado, às 18h – Praça

Grátis
Sesc Thermas de Presidente Prudente

10/10 – quinta-feira, às 20h – Área de Convivência

Grátis

Livre – 35 minutos

Direção e performance: Lúcia Kakazu – Músico performer: Ricardo Kakazu – Direção musical e trilha sonora: Matheus Alvisi – Iluminação: Paula Hemsi – Design de som: Joana Flor – Figurino: Shima e Lúcia Kakazu – Produção: Carolina Goulart – Técnico de luz: Fagner Lourenço – Técnico de som: André Teles – Colaboração artística: Adriana Grechi, Cristiane Paoli Quito, Cuca Bolaffi, Elias Cohen (Chile), Janaína Leite, Paula Petreca e Paula Salles

O Jardim – Experimento de Desmontagem

Cia. Hiato (São Paulo / SP)

A companhia propõe uma nova visão da peça O Jardim ao revelar os processos criativos dos atores, a dramaturgia e os espaços cênicos e cenográficos em um diálogo com o público. Ao final da apresentação, haverá um debate sobre a recorrente relação do grupo com o tempo e a memória, entendida como um ato criativo.

Sesc Jundiaí

04/10 – sexta-feira, às 20h – Teatro

Sesc Campinas

09/10 – quarta-feira, às 15h –Teatro

Sesc Taubaté

11/10 – sexta-feira, às 20h – Nave Cultural

R$30/R$15 / R$9
16 anos 
– 90 minutos

Criação: Cia. Hiato  Dramaturgia e direção: Leonardo Moreira – Elenco: Aline Filócomo, Fernanda Stefanski, Luciana Paes, Maria Amélia Farah, Paula Picarelli e Thiago Amaral – Ator convidado: Edison Simão – Coordenadora de produção e gestão: Aura Cunha – Assistência de direção: Amanda Lyra – Cenário: Marisa Bentivegna – Assistente de cenografia: Ayelén Gastaldi e Cezar Renzi – Desenho de luz: Marisa Bentivegna – Música original: Marcelo Pellegrini – Figurinos: Theodoro Cochrane – Objetos cênicos: Victor Merseguel – Efeitos especiais: Pepe Scrofft – Fotos e vídeos: Otávio Dantas – Criação gráfica: Cassiano Tosta (DGRAUS) – Produção executiva: Yumi Ogino – Produção geral: Elephante Produções Artísticas

Oba Nu Mun

Lúcia e Ricardo Kakazu (São Paulo / SP)

No dialeto tradicional japonês uchinaguchi, falado em Okinawa, Oba Nu Mun significa coisas da avó. O espetáculo de dança contemporânea evidencia as relações sentimentais e as diferenças culturais entre uma avó e sua neta, a bailarina Lúcia Kakazu – que também assina a direção. A performance, que mistura dança com música folclórica japonesa e ocidental, parte dos objetos e relatos das memórias da avó de Lúcia, nascida e criada em um Japão pós-guerra.

Sesc São José dos Campos

04/10 – sexta-feira, às 19h – Teatro

R$ 17 / R$ 8,50 / R$ 5

Sesc Bom Retiro

05/10 – sábado, às 18h – Praça

Grátis
Sesc Thermas de Presidente Prudente

10/10 – quinta-feira, às 20h – Área de Convivência

Grátis

Livre – 35 minutos

Direção e performance: Lúcia Kakazu – Músico performer: Ricardo Kakazu – Direção musical e trilha sonora: Matheus Alvisi – Iluminação: Paula Hemsi – Design de som: Joana Flor – Figurino: Shima e Lúcia Kakazu – Produção: Carolina Goulart – Técnico de luz: Fagner Lourenço – Técnico de som: André Teles – Colaboração artística: Adriana Grechi, Cristiane Paoli Quito, Cuca Bolaffi, Elias Cohen (Chile), Janaína Leite, Paula Petreca e Paula Salles

O Jardim – Experimento de Desmontagem

Cia. Hiato (São Paulo / SP)

A companhia propõe uma nova visão da peça O Jardim ao revelar os processos criativos dos atores, a dramaturgia e os espaços cênicos e cenográficos em um diálogo com o público. Ao final da apresentação, haverá um debate sobre a recorrente relação do grupo com o tempo e a memória, entendida como um ato criativo.

Sesc Jundiaí

04/10 – sexta-feira, às 20h – Teatro

Sesc Campinas

09/10 – quarta-feira, às 15h –Teatro

Sesc Taubaté

11/10 – sexta-feira, às 20h – Nave Cultural

R$30/R$15 / R$9
16 anos 
– 90 minutos

Criação: Cia. Hiato  Dramaturgia e direção: Leonardo Moreira – Elenco: Aline Filócomo, Fernanda Stefanski, Luciana Paes, Maria Amélia Farah, Paula Picarelli e Thiago Amaral – Ator convidado: Edison Simão – Coordenadora de produção e gestão: Aura Cunha – Assistência de direção: Amanda Lyra – Cenário: Marisa Bentivegna – Assistente de cenografia: Ayelén Gastaldi e Cezar Renzi – Desenho de luz: Marisa Bentivegna – Música original: Marcelo Pellegrini – Figurinos: Theodoro Cochrane – Objetos cênicos: Victor Merseguel – Efeitos especiais: Pepe Scrofft – Fotos e vídeos: Otávio Dantas – Criação gráfica: Cassiano Tosta (DGRAUS) – Produção executiva: Yumi Ogino – Produção geral: Elephante Produções Artísticas

Um Senhor muito Velho

Grupo Taturana (São Paulo / SP)

O boneco em tamanho natural manipulado pelo ator ganha vida, impressiona e remete à imaginação e fantasia. Em meio à solidão, ele conversa, canta, desenha e faz poesias para entregar a quem encontrar, em uma alegoria sobre a busca por relações afetivas, o amor e um sentido para a vida. Inspirado no conto “Um senhor muito velho com umas asas muito grandes”, do escritor Gabriel García Márquez, a intervenção aborda as dificuldades de relacionamento em nosso cotidiano.

Sesc Parque Dom Pedro II

05/10 – sábado, 14h às 17h – Praça Lúdica

Sesc Catanduva

09/10 – quarta-feira, 15h às 18h – Praça da Mangueira

Sesc São Carlos

10/10 – quinta-feira, 17h às 20h – Convivência Interna

Grátis

Livre – 120 minutos

Performer criador e concepção do boneco: Arô Ribeiro – Direção musical: René Misumi – Figurinos: Cristiane Lanzellotti – Objetos: René Misumi – Produção: Jú Lopes (Taturana Grupo)

Naïfs

Daiane Baumgartner e João Sobral (Rio Claro – SP / São Paulo – SP)

Depois da perda de seu marido, a senhora Violeta vai para a casa dos filhos levando todos os seus pertences. A caminho, na estação de trem, conhece Antônio Bento, um músico de rua inventor que toca suas canções com sua vassoura e embala os passageiros diariamente. Por meio da música, ela se recorda de momentos importantes de sua vida e divide com o artista anseios, alegrias e tristezas, levando a plateia a refletir sobre a valorização do cotidiano.

Sesc São Caetano

5/10 – sábado, às 12h – Convivência
Grátis

Livre – 60 minutos

Criação: Daiane Baumgartner e João Sobral – Direção: Marcelo Lujan – Música original: João Sobral – Produção: Daiane Baumgartner

O Jardim

Cia. Hiato (São Paulo / SP)

Vencedora dos prêmios Shell e APCA, a terceira montagem da companhia conta três histórias pertencentes a tempos diferentes que se cruzam, se sobrepõem e se chocam: a primeira traz um casal que se separa após comprar uma casa. Na segunda, duas irmãs internam o pai em um asilo e a terceira, uma mulher registra o abandono da casa onde a família viveu. A peça parte de uma investigação sobre a doença de Alzheimer e de clássicos da literatura para falar de memórias – as perdidas, as inesquecíveis e as inventadas.

Sesc Belenzinho

05 e 06/10 – sábado, às 20h e domingo, às 17h – Sala de Espetáculos 2

R$30 /R$15/ R$9
16 anos 
– 90 minutos

Criação: Cia. Hiato  Dramaturgia e direção: Leonardo Moreira – Elenco: Aline Filócomo, Fernanda Stefanski, Luciana Paes, Maria Amélia Farah, Paula Picarelli e Thiago Amaral – Ator convidado: Edison Simão – Coordenadora de produção e gestão: Aura Cunha – Assistência de direção: Amanda Lyra – Cenário: Marisa Bentivegna – Assistente de cenografia: Ayelén Gastaldi e Cezar Renzi – Desenho de luz: Marisa Bentivegna – Música original: Marcelo Pellegrini – Figurinos: Theodoro Cochrane – Objetos cênicos: Victor Merseguel – Efeitos especiais: Pepe Scrofft – Fotos e vídeos: Otávio Dantas – Criação gráfica: Cassiano Tosta (DGRAUS) – Produção executiva: Yumi Ogino – Produção geral: Elephante Produções Artísticas

AsSombrasSão

Cia. Histriônica de Teatro (Campinas /SP)

O primeiro espetáculo infantil da Cia. Histriônica de Teatro conta a história de uma menina levada para uma aventura em um mundo fantástico para ajudar sua avó que, aos poucos, começa a perder algumas memórias. Baseada no livro “Teatro de Sombras de Ofélia”, do autor alemão Michael Ende, a peça mescla música e teatro de sombras para explorar temas como o esquecimento, a solidão, a morte, o medo, a coragem e o amor, sem perder o humor.

Sesc Bertioga

05/10 – sábado, às 20h30 – Espaço Cênico

Sesc Osasco

06/10 – domingo, às 16h –Tenda 1

Grátis

Livre– 50 minutos

Criação e direção musical: Marcelo Onofri – Dramaturgia: Cia. Histriônica de Teatro e Tiche Vianna (Barracão Teatro) – Direção cênica: Tiche Vianna (Barracão Teatro) – Atuação: Ana Carolina Salomão, Isabela Basso, Júlia Munhoz, Juliana Saravali, Quesia Botelho, Taiane Raffa, Virgílio Guasco, Cadu Ramos e Vinícius Silveira – Produção de arte: Mariana Atauri Maurer – Cenário: Elias Abraham, Luisa Bataglini e Tiche Vianna –Cenotécnica: Elias Abraham, Ênio Brito Mendes e Antonio Neto (Buenos Cenários) – Figurino: Anna Kühl – Assistência de figurino: Aline Barbosa – Produção de figurino: VID Estúdio Criativo – Iluminação: Marcelo Lazzaratto – Operação de luz: Karen Mezza. Operação de som e preparação vocal: Felipe Macedo – Consultoria de teatro de sombras: Ronaldo Robles e Silvia Godoy (Cia Quase Cinema) – Gravação, mixagem e masterização: Estúdio Mário Porto – Músicos participantes: Marcelo Onofri, Mário Porto, Gabriel Peregrino, Arturo Cussen e Edu Guimarães – Fotografia: Maycon Soldan e Nina Pires – Designer gráfico: Bruno Cardoso – Produção executiva: Júlia Conterno (Caju Cultura) – Produção e realização: Cia. Histriônica de Teatro

Vovô

Cia. Truks (São Paulo / SP)

Conhecido por suas peças com bonecos, o tradicional grupo paulistano homenageia os imigrantes europeus que chegaram ao Brasil no século passado por meio da história de Vovô. O personagem relata memórias da infância, adolescência, vida adulta e velhice, além de recordações sobre sua adaptação longe de casa e guerras na Europa. Com o espetáculo, a companhia aborda questões universais como a passagem do tempo e a transmissão de histórias entre gerações.

Sesc Interlagos

06/10 – domingo, às 15h – Teatro

Grátis

Sesc Araraquara

13/10 – domingo, às 11h30 – Teatro

R$20 / R$10 / Grátis – Grátis para crianças até 12 anos
Livre – 55 minutos

Texto, concepção geral, direção, trilha sonora e iluminação: Henrique Sitchin –

Concepção e construção de bonecos e cenários: Cassia Domingues, Claudemir Santana, Henrique Sitchin, Sandra Lessa e Verônica Gerchman – Elenco: Aguinaldo Rodrigues, Bianca Muniz, Driely Palácio, Guilherme Conradi e Thaís Rossi – Operação de som e iluminação: João Santiago

A Jornada – Viagem às Sombras Verdes

Bete Dorgam (São Paulo / SP)

O monólogo dirigido por Soren Hellerup é baseado na obra dinamarquesa de Finn Methling escrita em 1952 e traz a atriz Bete Dorgam no papel de uma mulher que conta a história de sua vida. Com um enredo lírico, a montagem passeia pela infância até chegar à velhice da personagem que, como em um ciclo da vida, mostra a intensidade dos momentos vividos até os dias de hoje.

Sesc Avenida Paulista

08/10 e 09/10 – terça-feira e quarta-feira, às 20h – Arte II

R$30 / R$ 15 /R$9

12 anos – 60 minutos

Direção, cenografia e design de luz: Soren Hellerup – Elenco: Bete Dorgam – Figurino: Marcela Donato – Música: Rafael Senatore – Treinador de movimento: Marina Caron –
Assistente de produção: Daniel Calazans – Construção cênica: Pedro Araujo de Macedo
Tradução para português: Luiz Ricardo Friano – Produção: Great Dane Prod2 / SH Produções ArosDcas – Produtora: Adryela Rodrigues

O Eterno voo de Dr. Faustroll na Clareza Obscura do Ar

Cia. Corpos Nômades (São Paulo/SP)

O espetáculo é inspirado em Dr. Faustroll, personagem nascido com 63 anos e fundador da patafísica (ciência das soluções imaginárias e das leis que regulam as exceções), criado pelo escritor francês Alfred Jarry a partir do conto alemão de Fausto, homem que vende a alma ao diabo. O absurdo da peça fica evidente na montagem cênica e nas coreografias, onde os bailarinos, com figurinos, máscaras e adornos inusitados, conduzem desafios e até um convite para a plateia participar de uma competição de bingo.

Sesc Pompeia

08/10 – terça-feira, às 20h – Teatro

Sesc Campo Limpo

09/10 – quarta-feira, às 19h30. Tenda Multiuso

R$30 / R$15 / R$9

14 anos – 60 minutos

Concepção e direção: João Andreazzi – Elenco: Fabiola Camargo, João Andreazzi, Ricardo Silva e Vagner Cruz – Intérpretes no processo: Cristiano Bacelar e Rossana Boccia – Assessoria poética: Claudio Willer – Tradução: Éclair Almeida Filho. Trilha sonora: Guisado e Thiago Duar – Iluminação e operação: Alexandre Zullu e Rossana Boccia – Operação de som: Hélio Menezes – Figurino e cenário: Cia. Corpos Nômades – Músicos participantes do processo: Alexandre Rosa e Rica Bigio

Fotos: Fabio Zerbini e Gal Oppido

Pedaços de Mim

Seres de Luz Teatro (Campinas / SP)

O espetáculo retrata a trajetória da atriz, palhaça, titeriteira (manipuladora de marionetes) e antropóloga Lily Curcio, compartilhando com o público todo o processo criativo até a obra final. De forma técnica e poética, revela os caminhos percorridos pelo grupo paulista com cenas selecionadas de seu repertório de 25 anos de experimentações, em um diálogo entre atuação, o universo do clown e o teatro de animação.

Sesc Piracicaba

09/10 – quarta-feira, 14h – Teatro
Sesc Ribeirão Preto | 10/10 – quinta-feira, às 20h, Galpão de Eventos

R$30 / R$15 / R$9

14 anos – 90 minutos

Direção: Ana Cristina Colla (Lume Teatro) – Argumento e elenco: Lily Curcio – Concepção de iluminação: Eduardo Brasil – Orientação de figurino: Silvana Nascimento – Produção executiva: Wannyse Zivko – Realização: Seres de Luz Teatro

A – Vós

Nave Gris Cia. Cênica (São Paulo / SP)

O espetáculo de dança contemporânea apresenta a relação entre a memória e as perspectivas do tempo em uma conexão com avós e seus ancestrais. Os bailarinos criadores dançam inspirados por rituais funerários dos índios bororos, pela dança japonesa butô e pelas narrativas das divindades do candomblé. Também partilham com o espectador a vivência do processo de encontro com as lembranças de seus antepassados e a valorização de seu conhecimento.

Sesc Guarulhos

9/10 – quarta-feira, às 20h – Teatro

R$30 / R$15 / R$9
Livre – 50 minutos

Pesquisa e concepção: Nave Gris Cia. Cênica – Criadores-intérpretes: Fredyson Cunha, Kanzelumuka e Murilo De Paula – Orientação artística: Sayonara Pereira – Texto e concepção do cenário: Murilo de Paula – Concepção sonora e musical: Daniel Maia – Operação de som: Viviane Barbosa – Iluminação e operação de luz: Diogo Cardoso – Pintura artística cenográfica: Cesar Rezende Santana (Basquiat) e Murilo De Paula – Figurino: Éder Lopes – Registro fotográfico: Mônica Cardim – Coordenação de produção: Rochele Beatriz (Guria Q Produz) – Produção executiva: Antônio Franco – Design gráfico: Caco Bressane

Além do Tempo: Uma Memória do Amanhã ou Um Mundo na Minha Pele

Cia. À Fleur de Peau (França)

Concebida pelos coreógrafos Denise Namura e Michael Bugdahn, o espetáculo ocorrerá em duas fases: na primeira haverá a apresentação do processo de criação vivenciado com os idosos em duas intervenções, na segunda, os coreógrafos mostrarão um duo, síntese do trabalho que realizam há 30 anos. A memória e a identidade são a inspiração do trabalho que também aborda a energia vital através do tempo. É um poema para um coro de vozes e corpos, que nos fala de instantes vividos, de sonhos e desejos para o amanhã.

Sesc Vila Mariana

09 e 10/10 – quarta-feira, às 15h, e quinta-feira, às 20h – Auditório

R$30 / R$15 / R$9
Acima de 60 anos – 60 minutos

Concepção, coreografia, interpretação e cenografia: Denise Namura e Michael Bugdahn – Desenho de luz, texto e realização da trilha sonora: Michael Bugdahn –Figurino: Jean-Jacques Delmotte – Adereços: Maria Adélia – Co-produção: Compagnie à fleur de peau & Théâtre de l’Enfumeraie – Apoio: Ville d’Allonnes, D.S.U. d’Allonnes/Préfecture de la Sarthe, Conseil Général de la Sarthe, Conseil Régional des Pays de la Loire, Association Journées Danse-Dense, Arcadia, Avidia, Emmaüs, Val’Rhonne (Moncé en Belin), L’Arc-en-Ciel

Romeu e Julieta 80

Cia. Teatro Promíscuo (São Paulo / SP)

A adaptação do clássico de William Shakespeare traz os octogenários Renato Borghi e Miriam Mehler nos papéis dos jovens amantes de Verona que não podem viver sua paixão e o amor por causa da rivalidade entre suas famílias, os Montecchios e os Capuletos. Com direção de Marcelo Lazzaratto, a montagem faz uma adaptação inovadora da tragédia romântica para lançar luz sobre o envelhecimento e refletir sobre os obstáculos ao amor causados pela intolerância.

Sesc São Carlos

10/10 – quinta-feira, às 20h –Teatro

Sesc Bauru

11/10 – sexta-feira, às 20h30 – Auditório

R$30 / R$15/ R$9
12 anos – 90 minutos

Texto: William Shakespeare – Concepção, adaptação, iluminação e direção: Marcelo Lazzaratto – Elenco: Carolina Fabri, Elcio Nogueira Seixas, Miriam Mehler e Renato Borghi – Direção de arte, cenografia e figurinos: Simone Mina – Trilha sonora: Daniel Maia – Produção: Anayan Moretto – Realização: Teatro Promíscuo

Fissura No Piche
Luis Arrieta (São Paulo / SP)

Aos 68 anos, o bailarino e coreógrafo expõe os gestos simbólicos oriundos de sua descendência índia e basca em um solo minimalista que retrata a vida urbana e contemporânea. A coreografia retrata pensamentos, palavras e gestos que desabam no asfalto em busca de fendas que devolvam o abraço da terra em sua investigação pelas origens. Fissuras abrem labirintos no negro piche para encontrar as raízes perdidas e muitas vezes esquecidas.

Sesc Santo Amaro

10/10 – quinta-feira, às 15h – Praça

Grátis

Livre – 40 minutos

Concepção geral e interpretação: Luis Arrieta – Músicas: Ariel Ramírez, Camille Saint Saëns, Félix Luna, Homero Manzi, Johann Strauss e Sebastián Piana – Iluminação: Silviane Ticher – Produção: Cássia de Souza (Sala de Produção)

Por quê?

Cia. Cênica (Rio Preto / SP)

Inspirada no texto “Sou uma Pergunta”, de Clarice Lispector, a peça aborda questões como a solidão, o medo, a amizade e o reinventar-se diariamente. Todos os dias, em uma praça pública, à mesma hora e ao som do violão do Sr. Coreto, quatro senhores e senhoras, já idosos, reúnem-se para vivenciar situações inusitadas e engraçadas. Teatro, canto (música ao vivo), dança e brincadeiras configuram o universo lúdico destes personagens em cena.

Sesc Birigui

10/10 – quinta-feira, às 20h – Teatro

R$20 / R$10 / R$6 – Grátis para crianças até 12 anos

Livre – 50 minutos

Direção: Fagner Rodrigues e Linaldo Telles – Dramaturgia: Linaldo Telles – Elenco: Antonio Bucca, Fabiano Amigucci, Simone Moerdaui e Vanessa Palmieri (stand in Cássia Heleno) –Direção musical: José Maria Guirado – Músico: Diego Guirado
Figurinos: Ivani Cardoso e Natane Pereira Silva – Design de figurinos: Natane Pereira Silva – Cenografia: Fagner Rodrigues e Linaldo Telles – Maquiagem: Fabiano Amigucci – Pesquisa: Cia. Cênica

Passou Um Anjo ou Nas Entrelinhas Tem Um Mundo
Cia. À Fleur de Peau (França)

O espetáculo, que comemora os 30 anos da companhia francesa À Fleur de Peau, é uma ode ao silêncio, apresentada pela brasileira Denise Namura e o alemão Michael Bugdahn. A dupla radicada em Paris, além da interpretação, assina a concepção, coreografia e cenografia, com gestos precisos e sutis que unem humor e emoção.

Sesc Sorocaba

11/10 – sexta-feira, às 20h – Teatro

R$30|R$15|R$9

12 anos – 75 minutos

Concepção, coreografia, interpretação e cenografia: Michael Bugdahn e Denise Namura – Desenho de luz, texto e realização da trilha sonora: Michael Bugdahn – Figurino: Jean-Jacques Delmotte – Adereços: Maria Adélia – Co-produção: Compagnie à fleur de peau & Théâtre de l’Enfumeraie – Apoio: Ville d’Allonnes, D.S.U. d’Allonnes/Préfecture de la Sarthe, Conseil Général de la Sarthe, Conseil Régional des Pays de la Loire, Association Journées Danse-Dense, Arcadia, Avidia, Emmaüs, Val’Rhonne (Moncé en Belin), L’Arc-en-Ciel

Kintsugi, 100 Memórias

Lume Teatro (Campinas/ SP)

A companhia propõe uma dramaturgia a partir de 100 memórias para uma viagem pela trajetória do grupo, lembranças afetivas e fragmentos da história política. A peça explora as tentativas de se restaurar relações após estas terem sido estilhaçadas, em uma analogia com a técnica de restauração de cerâmica com ouro que leva o nome da palavra japonesa e dá título ao espetáculo. O elenco relembra um jantar narrado em diferentes versões e apresenta divagações sobre personagens reais, mas já debilitados pela doença de Alzheimer.

Sesc 24 de Maio

13/10 – domingo, às 17h – Hall da Ginástica

R$30 / R$15 / R$9
16 anos – 120 minutos

Criação: Ana Cristina Colla, Emilio García Wehbi, Jesser de Souza, Pedro Kosovski, Raquel Scotti Hirson e Renato Ferracini – Direção: Emilio Gracía Wehbi – Dramaturgia: Pedro Kosovski – Atuação: Ana Cristina Colla, Jesser de Souza, Raquel Scotti Hirson e Renato Ferracini – Desenho sonoro: Janete El Haouli e José Augusto Mannis – Projeção acústica: José Augusto Mannis – Iluminação: Eduardo Albergaria – Orientação coreográfica: Jussara Miller – Fotografia: Alessandro Soave e Arthur Amaral – Design gráfico: Arthur Amaral (Zumbido Cultural) – Administração: Giselle Bastos – Direção de produção: Cynthia Margareth (Aflorar Cultura) – Produção executiva: Simone Veloso (Aflorar Cultura) – Produção: Lume – Núcleo Interdisciplinar de Pesquisas Teatrais da Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP).

In Nomine Spiritus Sancti

Delirivm Teatro de Dança (São Paulo / SP)

Neste espetáculo do coreógrafo e bailarino paulista João Butoh, os idosos cantam, tocam instrumentos, interpretam e dançam como em um culto ecumênico – as orações são em busca de proteção. Na trilha sonora, músicas do cancioneiro popular, de Milton Nascimento a Ivan Lins, passando por José Miguel Wisnik e Jorge BenJor. A encenação ocorre em um espaço alternativo cercado por sete salas onde são contadas sete histórias de violência contra idosos.

Sesc Ipiranga

13/10 – domingo, às 16h – Quintal

Grátis
Livre – 90 minutos

Criação e direção: João Butoh – Direção musical: Neuza Mahlow – Elenco: Carlota Salvador Zocatelle, Catia Buono, Dulce Elena Tudine do Valle, Elias Martins, Francisco José Duarte Moreira, Gracinda Rodrigues de Oliveira, Iraci de Lima Bimbatti, Joana Ignez Portugal, Liliana Longo, Lucia Helena Longo, Maria Aparecida Alves Pereira, Maria Stella Pasquini de Souza, Neuza Mahlow, Rosalina Antonia Fonseca e Victório Kiritschenko

Os Corvos

Luis Ferron e Luis Arrieta (São Paulo / SP)

O espetáculo traz para cena uma reflexão sobre o presente como sentido vital e a morte como certeza final. Inspirado em crenças religiosas e mitos em torno da figura do corvo, com seus diversos significados, cria-se uma linha atemporal que se assemelha ao envelhecimento humano, se funde às memórias afetivas de Luis Ferron e convida a todos para exaltar a vida e pensar na morte com mais naturalidade.

Sesc Santo André

13/10 – domingo, às 18h – Teatro

R$30 / R$15 / R$9

12 anos – 60 minutos

Direção e elenco: Luis Arrieta e Luis Ferron – Projeto de luz e operação: Mauro Martorelli – Edição de trilha eletrônica e operação de som: Teo Ponciano – Arranjo para piano e violoncelo: Pedro Assad – Músicos: Pedro Assad (piano) e Thiago Vilela (violoncelo) – Tambores: Almir Jesus de Almeida (Tata Ybadan), Danilo Luango de Almeida (Tata Dassazume) e Ricardo Souza. Todos do Templo de Cultura Bantu Redandá – Figurino: Fause Haten – Voz em off: Fátima Silva – Registro fotográfico: Clarissa Lambert – Produção: Núcleo Corpo Rastreado

Serviço geral:

Mostra Sentidos – A Longevidade na Arte

De 1 a 13 de outubro de 2019

39 unidades do Sesc

sescsp.org.br/mostrasentidos

Comente