De acordo com uma pesquisa realizada pela Universidade de Ohio (EUA), em março deste ano, o Brasil é o país que apresenta os maiores índices de ansiedade e depressão durante a pandemia, quando comparado a outras dez nações. Irlanda e EUA aparecem em segundo e terceiro lugar, respectivamente. Entre os 1.500 brasileiros ouvidos, 63% tinham sintomas de ansiedade e 59% de depressão. A maioria (84,8%) não tinha diagnóstico de transtornos mentais antes da pandemia.

foto
Reprodução

Esses números coincidem com os resultados da pesquisa feita pela Fiocruz, que demonstrou que 40,4% dos brasileiros se sentem frequentemente tristes ou deprimidos e 52,6% sofrem de ansiedade e nervosismo devido a pandemia. Outro levantamento feito pelo Conselho Federal de Farmácia, divulgado em março deste ano, revelou um aumento de 17% nas vendas de antidepressivos e estabilizadores de humor em 2020.

Diante deste cenário, a Regional Sorocaba do Centro das Indústrias do Estado de São Paulo (CIESP), por meio de seus núcleos de Relações Humanas e Segurança e Medicina do Trabalho, irá realizar no próximo dia 21, das 8h30 às 11h, a palestra on-line “Saúde Mental Durante a Pandemia”.

O evento, em comemoração ao Dia do Trabalho e Dia da Indústria, celebrados em 1º e 25 de maio, respectivamente, conta com uma palestra da psicanalista e jornalista Rita Bragatto e com a participação especial da advogada especializada em Direito do Trabalho, Andrea Valio.

“De um dia para outro, alguns trabalhadores foram confinados em home office, outros afastados e muitos passaram a conviver com o fantasma da demissão. Quase um ano e meio depois, o cenário ainda desperta bastante insegurança e, consequentemente, um aumento dos distúrbios emocionais, como: crises de ansiedade, insônia, pânico, depressão, pensamentos suicidas e síndrome de Burnout. Tudo isso acontece de forma silenciosa, mas não pode ser ignorado. Os transtornos mentais são a terceira maior causa de afastamento do trabalho”, explica a psicanalista Rita Bragatto.

Afastamentos

Além de toda apreensão envolvendo a pandemia em si e as incertezas em torno da vacinação e mutações do vírus, o sistema de produção mudou significativamente com as novas tecnologias e a consolidação do home office. Este novo cenário está sendo marcado também pelo aumento de ocorrências de afastamento do trabalho. Segundo dados da Secretaria Especial de Previdência, em 2020 foram registrados 576,6 mil afastamentos, uma alta de 26% em relação ao registrado em 2019.

No caso do auxílio-doença, os afastamentos por causa de transtornos mentais, como depressão e ansiedade, registraram a maior alta entre as principais doenças indicadas como razão para o pedido do benefício. O número de concessões passou de 213,2 mil, em 2019, para 285,2 mil, em 2020, aumento de 33,7%. O número de aposentadorias por invalidez concedidas em decorrência de problemas mentais também subiu de 241,9 mil para 291,3 mil de 2019 para 2020, um aumento de 20,4%. Nos dois tipos de benefício, os números de 2020 são os maiores da série histórica, iniciada em 2006.

“É muito importante abordarmos esse tema e as situações vivenciadas pelos trabalhadores nesses tempos de pandemia. Nossa proposta é trazer informações que possam contribuir para o enfrentamento da pandemia e o cuidado com a saúde mental dos trabalhadores”, explica Erly Domingues de Syllos, diretor titular do CIESP Sorocaba.

O evento é gratuito e aberto ao público. Para participar basta se inscrever pelo link http://www.ciespsorocaba.com.br/agendas/evento.php?id=761. Após a inscrição, cada participante receberá o link para acessar a palestra que será feita por meio da plataforma Zoom.

Outras informações pelo site www.ciespsorocaba.com.br ou pelo telefone (15) 4009-2900.

Serviço:
O que: 
 palestra on-line “Saúde Mental Durante a Pandemia”.
Data: 
21 de maio (sexta-feira), das 8h30 às 11h
Onde:
 Plataforma Zoom
Inscrições:   http://www.ciespsorocaba.com.br/agendas/evento.php?id=761.
Informações: (15) 4009-2900 | cursos@ciespsorocaba.com.br
Evento gratuito e aberto ao público

Comente